ZIKA: O SURTO DE ESPECULAÇÕES

Taynara Silva Dino, Marina Gomes Abrantes, Vitor de Souza Soares, Paulo Cavalcante Apratto Junior

Resumo


O estudo realiza uma revisão bibliográfica sobre o histórico e disseminação do vírus Zika, epidemiologia, sintomatologia, diagnóstico da infecção, transmissão do vírus, prevenção e associações com doenças. Com o intuito de esclarecer as especulações a respeito do vírus Zika, já que a sua vigência no Brasil é recente. O primeiro caso em humanos foi catalogado na Uganda e na Tanzânia em 1952, confirmando a manifestação no Brasil apenas no ano de 2015. Os sintomas iniciais podem ser confundidos como um caso de dengue, o diagnóstico da doença ainda não é especifico e os testes nos pontos de atendimento são escassos. A picada do mosquito do gênero Aedes é a responsável por transmitir a infecção ao homem, já em casos particulares, pode ocorrer a transmissão perinatal. O Ministério da Saúde confirmou a relação entre a ocorrência de microcefalia e a infecção pelo ZIKV, não existindo um tratamento específico para essa anormalidade. Pode-se desenvolver a Síndrome de Guillain-Barré, poucos dias após os primeiros sintomas do Zika. A profilaxia do vírus se iguala à prevenção da Dengue e da febre Chikungunya, que se baseia principalmente na eliminação dos criadouros do mosquito. Sendo preciso mais estudos sobre sua dinâmica de transmissão e sobre a relação com a microcefalia.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Taynara Silva Dino, Marina Gomes Abrantes, Vitor de Souza Soares, Paulo Cavalcante Apratto Junior

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Indexação:

             

ISSN: 2446-6778

 This work is licensed under a Creative Commons License Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.